Caixinha de Música – Waldir Azevedo


Caixinha de Música – Waldir Azevedo

Instrumento musical

Instrumento musical mecânico em que uma engrenagem de relógio impulsiona um dispositivo giratório dentado, que faz vibrar uma série de lâminas de aço, cada qual afinada segundo determinada altura. Música: Delicado

Detalhes do Acervo

Dimensões: A 10 cm (fechada) x L 16,7 cm x P 12,7 cm
Técnica: Marchetaria
Suporte: Madeira
Fabricante: Jules Richard (Paris)
Coleção Waldir Azevedo. Acervo MIS.

Waldir Azevedo

Retrato de Waldir Azevedo feito para a revista Radiolândia. Ano: 1952. Foto: Diler. Coleção Waldir Azevedo. Acervo MIS.

Waldir Azevedo (1923 – 1980) foi um compositor e instrumentista carioca, do bairro da Piedade. Famoso por sua performance inovadora no cavaquinho e por ter composto a música Brasileirinho, em 1940. Com a música Delicado, o artista foi recordista de vendagens em 78 rpm e chegou ao primeiro lugar nas paradas americanas, com a versão da Orquestra de Percy Faith. Em 1955, foi cantada por Carmen Miranda em uma versão para o The Jimmy Durante Show.

Deixa eu te contar…

Em 1962, Waldir de Azevedo foi convidado pelo Itamaraty, para integrar a V Caravana Oficial de divulgação da Música Popular Brasileira, Brasília Samba, que faria turnê na Europa com uma escala na Faixa de Gaza, na Palestina. Antes de seguirem viagem, os músicos que acompanhavam Waldir resolveram passear por tendas árabes, que vendiam bibelôs para turistas, e ele resolveu comprar lembranças para a família. Em uma das tendas lhe chamaram a atenção caixinhas típicas confeccionadas em madeira e madrepérola, e, ao abrir uma delas, havia um porta-cigarros acoplado a uma caixinha de música, com maquinário italiano. A música que tovaca na caixinha era Delicado, uma etiqueta no fundo confirmava que era a sua música. Logo ele chamou os companheiros e o guia. O mercador não acreditou e Waldir foi até o ônibus pegar o cavaquinho, tocou Delicado ali no meio da feira, e todos pararam para ouvir. O mercador, estupefato, lhe deu a caixinha de presente, Waldir comentou em seguida: “Mas até aqui esta música sem-vergonha veio parar”.

Vídeo

Galeria de Imagens

Caixinha de Música Waldir Azevedo. Foto: Michael Marques
Detalhes da madrepérola na madeira. Foto: Michael Marques

“Ninguém deve esconder demais a sua dor, porque assim mais cresce o mal do amor​”

Trecho de Delicado, um baião escrito por Waldir Azevedo e Aloysio de Oliveira.