CONHEÇA/ Curadoria

Um museu do presente, renovado diariamente


O MIS está sendo feito de uma maneira muito carioca. Estamos lidando com acervos e nos divertindo com eles, da mesma forma que esperamos que o público se divirta.

André Weller

 

Mesmo sendo um museu com grande uso de tecnologia, a grande inovação do MIS / Museu da Imagem e do Som está na seleção, organização e tratamento do conteúdo. E esse é o desafio do jornalista Hugo Sukman, que, em parceria com o diretor de arte e documentarista André Weller, assina a curadoria do museu.

Desde 2010, os curadores realizam uma profunda imersão no acervo do MIS e na construção de narrativas. São dezenas de experiências previstas para o museu e nenhuma delas é convencional.

Partindo do samba, do rádio, das novelas, das fotos de Augusto Malta ou da bossa nova, as instalações procuram envolver o público e buscar a sua participação. “Essas narrativas são abertas, aceitam a contribuição do visitante e dos novos acervos que vão chegando. E não é assim porque a gente quer. Essa é a forma que esse museu, que nasceu inovador, está pedindo da gente, seja na criação de uma linguagem inusitada para mostrar a característica da rebeldia do povo do Rio de Janeiro, seja para contar a história do carnaval vivendo um ambiente de carnaval como acontece no andar do Espírito Carioca”, afirma Sukman.

O grande objetivo da curadoria é partir do rico acervo da instituição, atualmente de acesso restrito a pesquisadores e especialistas, para criar novos significados para o público. Para Sukman, “estamos pegando esse acervo que está nas gavetas para mostrar como essa cidade é encantadora, rica, variada e humana. O que a gente descobriu é que existe uma maneira carioca de ver o mundo, que tem a ver com o humor, com a irreverência, que a gente está tentando traduzir”.

O projeto é inusitado mesmo para a equipe que está trabalhando nele. É um desafio diário que vai moldando o caráter da instituição e como ela vai se comportar no futuro. A partir do uso do acervo digital (o arquivo físico ficará hospedado no MIS PRO, na Lapa) a tecnologia vai permitir que esse material seja transformado o tempo todo, aberto a possibilidades.

O MIS é um museu do presente e tem um objetivo de incorporar tudo o que acontece relativo à cultura carioca. Isso significa um museu novo diariamente. “Todo dia surge uma coisa genial no Rio, pode ser uma manchete de jornal, um verso, uma piada contada no elevador, um samba. O MIS registra e documenta essa criação. É um privilégio poder compartilhar esse jeito carioca que está num rebolado, numa conversa do boteco, no passeio no calçadão. O bacana é que no MIS isso tudo vai estar reunido num lugar só, junto e misturado”, conta André Weller.

A reação das pessoas em relação ao projeto do MIS tem animado os curadores. “Ninguém esperava que o museu seria um lugar pra você conviver com essa cultura do Rio de forma muito afetuosa. É uma oportunidade única ter um museu que traduza o espírito da cidade. Estava falando com pessoas que lidam com Carmen Miranda (que vai ser um personagem central desse museu) e elas não estão acreditando que o Brasil finalmente vai ter um espaço nobre para cultuar, revisitar e estudar a sua maior artista. Isso parecia impossível antes do museu acontecer”, diz Sukman.

PARCEIROS


 

Sede Administrativa
Rua Visconde de Maranguape, 15
Largo da Lapa, CEP 20021-390
Rio de Janeiro/ RJ

Sede Praça XV
Praça Luiz Souza Dantas, 01
Praça XV, Rio de Janeiro/ RJ
Rio de Janeiro/ RJ, Brasil

Tel +55 21 2332-9509/ 2332-9507 (Lapa)
Tel +55 21 2332-9068 (Praça XV)
Email: ola@mis.rj.gov.br

©

2017 MIS–RJ
Termos de uso/ FAQ
design ps.2