MIS Blog/ Antiqualhas MIS

Visita de Eva Perón à Rádio Nacional

07 de maio de 2014


 

As gravações de programas da Rádio Nacional pertencentes ao Museu da Imagem e do Som do Rio de Janeiro são, verdadeiramente, os registros mais importantes da época em que o rádio reinava absoluto nos lares brasileiros, reinado que foi perdendo força e espaço concomitantemente ao desenvolvimento da televisão.

A Rádio Nacional foi criada em 1936. Mas problemas com o fisco levaram o Governo Vargas a encampá-la quatro anos depois. O próprio Getúlio, nessa época, já vislumbrava a importância do rádio como agente de integração nacional.

Na “Coleção Rádio Nacional” do MIS, as gravações vão de 1941 até 1958. E no momento em que a instituição está digitalizando todo o seu acervo, posso dizer que o material transmigrado dos antigos discos de acetato para a mídia digital gerou, até agora, 2.075 CDs. Ou seja: duas mil horas de gravações, aproximadamente.

Recentemente, selecionei um verdadeiro “achado”, que quase ninguém conhece, para divulgar aqui no “Antiqualhas”: a visita de Eva Peron à Rádio Nacional.

Alguém poderia imaginar Eva Duarte de Perón, uma das mulheres mais famosas da história moderna, passando pela portaria do edifício de “A Noite”, na Praça Mauá, subindo por um daqueles elevadores, circulando pelos corredores, entrando em um dos estúdios e falando ao microfone da Rádio Nacional?

Aos 7 de maio de 1919, nasceu Maria Eva Duarte, na cidade de Los Toldos, província de Buenos Aires, Argentina. Filha da lavadeira Juana com o fazendeiro casado Juan Duarte, sua mãe teve, com este, cinco filhos, mas só Eva não foi registrada (ainda que o sobrenome Duarte apareça em muitos documentos) devido ao falecimento do genitor em acidente de carro.

A partir dessa morte, Juana e filhos mudam-se para Junín, de onde, aos 15 anos, em 1935, Eva partiu para a capital, Buenos Aires, na companhia de Agustín Magaldi, cantor de tangos e amigo da família. No ano seguinte, 1936, a jovem resolveu seguir carreira artística e em 1937, aos 17, estreou no cinema nacional com o filme Segundos afuera, sendo contratada, a partir daí, para fazer radionovelas.

Na condição de radioatriz, Eva conheceu, em 1944, o coronel Juan Domingo Perón, então vice-presidente da Argentina e ministro do Trabalho e da Guerra, com quem se casou em 22 de outubro de 1945.

Ao lado do marido, eleito presidente em 24 de fevereiro de 1946, Eva, agora Duarte de Perón consagrou-se como uma das mais expressivas personalidades da política “populista”, de todos os tempos, encarnando a figura de “mãe dos pobres” e “protetora dos descamisados”, sim, “descamisados”, expressão que parece ter sido primeiramente usada por ela.

Aos 16 de agosto de 1947, após triunfal visita à Europa, Eva desembarcou no Rio de Janeiro e, na mesma tarde, visitou a Rádio Nacional, deixando registrado o episódio em quatro faixas de acetatos: 1) Abertura com palavras do locutor e apresentação de autoridades argentinas presentes; 2) “Hino da Argentina”, pela Orquestra da Rádio Nacional, sob a regência de Leo Peracchi, e palavras em espanhol de jornalista argentino; 3) Discurso de Eva Peron; 4) Apresentação pelo locutor da “melodia nacional dos descamisados”, intitulada La Dama de la Esperanza, e palavras de encerramento.

Vítima de câncer, Evita, como milhares de argentinos a chamavam, faleceu em Buenos Aires, aos 26 de julho de 1952. Após ascenção que a levou do nada ao tudo em pouco mais de uma década, a primeira-dama contava 33 anos de idade. Seus restos mortais encontram-se no sóbrio mausoléu da Família Duarte, no Cemitério da Recoleta, naquela mesma cidade.

Luiz Antônio de Almeida
Chefe da Sala de Pesquisas
Pesquisador da Música Brasileira

PARCEIROS


 

Sede Administrativa
Rua Visconde de Maranguape, 15
Largo da Lapa, CEP 20021-390
Rio de Janeiro/ RJ

Sede Praça XV
Praça Luiz Souza Dantas, 01
Praça XV, Rio de Janeiro/ RJ
Rio de Janeiro/ RJ, Brasil

Tel +55 21 2332-9509/ 2332-9507 (Lapa)
Tel +55 21 2332-9068 (Praça XV)
Email: olamisrj@gmail.com

©

2018 MIS–RJ
Termos de uso/ FAQ
design ps.2