MIS Blog/ Notícias

Hugo Carvana morre aos 77 anos

06 de outubro de 2014


 

Morreu, no último 4 de outubro, no Rio de Janeiro, aos 77 anos, o cineasta e ator Hugo Carvana. Ao longo da carreira, iniciada em 1955, Carvana ficou marcado por retratar do típico “malandro carioca” em suas comédias de costumes. Atuou como ator em mais de 50 filmes. Dentre as produções que dirigiu, estão “Vai trabalhar, vagabundo” (1973), “Se segura, malandro” (1977), “Bar Esperança, o último que fecha” (1982), “O homem nu” (1996), “Casa da mãe Joana” (2007) e “Não se preocupe, nada vai dar certo” (2009). O último filme que o cineasta dirigiu foi “A Casa da Mãe Joana 2” (2013).

Relação com o MIS

Com seu sotaque carioca inconfundível, ele deu voz, ao tour virtual da nova sede do MIS, em Copacabana, que será inaugurada em 2015.

Em 21 de julho de 2010, Carvana também participou da série Depoimentos para a Posteridade. “Primeiro vou colocar o lenço na mesa, porque com certeza eu vou chorar”. Foi com essa frase, que o ator começou seu testemunho, pra lá de emocionante.

Homenagem

Recentemente, no dia 27 de setembro, o Festival do Rio realizou uma sessão especial de “Vai trabalhar, vagabundo”, com cópia restaurada. Os quatro filhos de Hugo Carvana – todos com a jornalista e agora viúva Martha Alencar – estavam presentes: Júlio, Cacala, Rita e Pedro Carvana. Devido à saúde debilitada, o cineasta não pôde comparecer.

Trajetória

Carioca, nascido em Lins de Vasconcelos, Zona Norte do Rio, Hugo Carvana de Holanda começou sua carreira artística aos 18 anos fazendo figuração para um filme. Depois disso fez 22 chanchadas.

Em 1954, foi fazer teatro. Encenou “O Auto da Compadecida”, de Ariano Suassuna, em 1958, e mais tarde , “O Pagador de Promessas”, de Dias Gomes e “Boca de Ouro”, de Nelson Rodrigues, da companhia do Teatro Nacional de Comédia, TNC.

Ainda nos anos 50, participou do Cinema Novo, estreando com Ruy Guerra, em “Os Cafajestes”, e depois trabalhando com Cacá Diegues e Glauber Rocha

Carvana tornou-se conhecido do grande público atuando em novelas na televisão. Foi Daniel Filho quem o convidou para seu primeiro trabalho, “Anastácia, a Mulher sem Destino” (1967). de Janete Clair.

Foi no cinema que Carvana foi mais reconhecido com o primeiro filme que ele dirigiu, “Vai Trabalhar, Vagabundo”, de 1973. Com o longa, ganhou o Kikito de Ouro de Melhor Filme, no Festival de Gramado.

De 1962 a 2013, foram 681 atuações no cinema. Entre elas, “Bravo Guerreiro”, de Gustavo Dahl; “A Grande Cidade”, “Os Herdeiros”, “Quando o Carnaval Chegar” e “Deus é Brasileiro”, de Cacá Diegues; “Tenda dos Milagres”, de Nelson Pereira dos Santos; “Macunaíma”, de Joaquim Pedro de Andrade e Pindorama e “Toda Nudez Será Castigada”, de Arnaldo Jabor. O último foi em “Giovanni Improtta”, de 2013.

 

 

PARCEIROS


 

Sede Administrativa
Rua Visconde de Maranguape, 15
Largo da Lapa, CEP 20021-390
Rio de Janeiro/ RJ

Sede Praça XV
Praça Luiz Souza Dantas, 01
Praça XV, Rio de Janeiro/ RJ
Rio de Janeiro/ RJ, Brasil

Tel +55 21 2332-9509/ 2332-9507 (Lapa)
Tel +55 21 2332-9068 (Praça XV)
Email: olamisrj@gmail.com

©

2018 MIS–RJ
Termos de uso/ FAQ
design ps.2