MIS Blog/ Notícias

DIA DO CINEMA BRASILEIRO

16 de junho de 2015


 

As primeiras filmagens realizadas no Brasil foram feitas em 19 de junho de 1889, pelos irmãos Segreto, imigrantes italianos, que filmaram a Baía de Guanabara, a bordo do navio francês Brésil.  A data da gravação do filme,  com o título Vista da Baía da Guanabara, serviu de inspiração para a  comemoração do Dia do Cinema Brasileiro.

Mas foi somente em 8 de julho de 1896, que aconteceu a primeira exibição cinematográfica no Brasil. O local escolhido para o evento foi o Cinematógrapho Parisiense, onde criou-se um local adaptado, que funcionava o teatro Glauber Rocha, no Rio de Janeiro, de propriedade de Pascoal Segreto e José Roberto Cunha Salles. Na época, foram projetados ali oito pequenos filmes, com cerca de um minuto, cada. Mas somente em 1909 o Rio de Janeiro ganhou seu primeiro cinema: o Cine Soberano, localizado na Rua da Carioca.

A primeira companhia de cinema brasileira foi fundada somente em 29 de janeiro de 1911, distribuindo salas de cinema por todo o país e reproduzindo fitas do cinema estrangeiro. Na época, atores brasileiros ficaram desempregados e o cinema nacional perdeu espaço, entrando em decadência. Somente nos anos 1930 Adhemar Gonzaga instalou o primeiro estúdio de cinema no Rio de Janeiro, a Cinédia. A partir daí, iniciaram-se as produções dos dramas e comédias musicais brasileiras. As chanchadas surgiram no ano de 1941, através da produtora Atlântica, tendo Carlos Manga como um de seus principais cineastas. Depois o estúdio Vera Cruz realizou o filme O Cangaceiro, de Lima Barreto, premiado no Festival de Cannes.

Diretores internacionalmente reconhecidos, como Cacá Diegues e Eduardo Coutinho, são alguns dos que já deixaram seu depoimento no MIS. Em sua participação na série, promovida desde 1966 com grandes nomes da cultura nacional, Cacá abriu seu depoimento, em 2008, falando de como dediciu trabalhar com cinema: “A primeira lembrança de um filme foi em um cinema de Maceió, onde eu morava, já aos cinco anos de idade. Isso fez eu ter certeza do que queria”. O Museu também dispõe de duas coleções de grandes nomes do cinema nacional, Jurandyr Noranha e Salvyano Cavalcanti de Paiva.

Mas e a nova geração de cineastas, o que pensam e quais as suas perspectivas de mercado? Para o jovem jornalista, documentarista, ator e produtor Alex Teixeira, de apenas 28 anos, fazer cinema no Brasil é uma arte cara, geralmente incentivada ou patrocinada. Por isso, pensou em estratégias de parcerias para filmar de maneira independente.

“Nessa esteira, criei com mais dois parceiros a Mufa Produções, um coletivo de artistas-produtores que atua em rede, produzindo sem a obrigatoriedade do financiamento público. Acredito que essa seja uma das saídas para a nova geração de documentaristas”, acredita o artista, que atualmente ensaia uma peça, inspirada na obra de Luís da Câmara Cascudo, o maior folclorista da América Latina. Além disso, produz documentários e o evento mensal Sarau do Escritório, ocupação urbana artística que acontece na Praça João Pessoa, na Lapa.

PARCEIROS


 

Sede Administrativa
Rua Visconde de Maranguape, 15
Largo da Lapa, CEP 20021-390
Rio de Janeiro/ RJ

Sede Praça XV
Praça Luiz Souza Dantas, 01
Praça XV, Rio de Janeiro/ RJ
Rio de Janeiro/ RJ, Brasil

Tel +55 21 2332-9509/ 2332-9507 (Lapa)
Tel +55 21 2332-9068 (Praça XV)
Email: olamisrj@gmail.com

©

2018 MIS–RJ
Termos de uso/ FAQ
design ps.2